Estratégias de backup: como e quando adotar no ambiente corporativo?
Gestão

Estratégias de backup: como e quando adotar no ambiente corporativo?

Definir corretamente as estratégias de backup é uma das principais tarefas quando se pensa em um plano de continuidade de negócio. Isso porque, no ambiente corporativo, a informação tem se tornado um dos ativos mais valiosos.

Por meio da correta análise de dados, a informação é gerada e, consequentemente, o conhecimento. Ter, portanto, a certeza de que esse bem estará à disposição, mesmo em casos de situações adversas, garante segurança quando à preservação de um negócio.

Nesse contexto, é essencial entender a importância do backup e saber quando adotá-lo em sua empresa. E é isso que veremos neste artigo! Continue lendo e confira:

Por que é preciso ter estratégias de backup?

Você pode estar se perguntando sobre que tipos de situações adversas poderiam ocorrer e prejudicar tanto uma empresa. Vejamos, então, alguns exemplos:

Catástrofes geográficas

Essas são situações naturais que fogem do nosso controle, podendo comprometer gravemente um negócio. Inundações e incêndios são alguns exemplos clássicos.

Invasão cibernética

Invasões para roubar informações têm se tornado cada vez mais frequentes. E a criatividade dos invasores é algo que não se pode ignorar. Assim, ter os sistemas de informação armazenados ou gerenciados de modo inseguro é um erro inadmissível.

Mau uso na própria empresa

Não é raro dados serem apagados por acidente pelos próprios funcionários de uma empresa. Nesses casos, sistemas podem ser danificados, tendo sua base de dados corrompida, se não houver as devidas proteções e políticas de acesso bem definidas.

Deterioração do equipamento e infraestrutura de TI

Essa é uma preocupação a mais para os casos em que o armazenamento de bancos de dados e sites é feito nas dependências da própria empresa. Afinal, o gestor tem um trabalho extra ao se preocupar em manter e administrar a infraestrutura de TI, incluindo:

  • data center;
  • sistemas de refrigeração;
  • servidores;
  • switches;
  • cabos de rede etc.

Além dos custos estruturais, essa situação exige que a empresa mantenha uma equipe de TI na sua folha de pagamento para gerir esse parque tecnológico.

Como definir as melhores estratégias para uma empresa?

Todos os itens apontados acima como potenciais riscos acontecem com maior incidência em situações de armazenamento e backup próprios — ou seja, quando a empresa acredita que a melhor solução é “deixar tudo dentro de casa”.

Mas incidentes simples também podem deixar a empresa fora do ar nessa situação. Imagine parar as suas atividades por causa de falha no fornecimento de energia, ou por rompimento do cabeamento de Internet do fornecedor?

Inclusive, vale a pena estimar quanto, em dinheiro, você perderia por hora que o sistema passar off-line. No caso de um e-commerce, é possível que muitos produtos deixem de ser vendidos durante o período em que site fica inacessível.

Nesse contexto, a possibilidade de armazenamento na nuvem é uma saída inteligente. Empresas que fornecem esse serviço sempre garantem alta disponibilidade, performance, segurança e rotinas de backup dos dados. Por isso, essa opção deve ser considerada seriamente.

Os benefícios do armazenamento na nuvem

Para começar, a gestão terceirizada da infraestrutura reduz o ônus na folha de pagamento. E o armazenamento na nuvem também alivia a responsabilidade interna com o data center, pois reduz custos com:

  • energia elétrica;
  • manutenção de equipamentos;
  • locação de espaço etc.

Além disso, a empresa pode contratar um ambiente escalável. Em épocas de alta estação, por exemplo, é possível adicionar recursos ao ambiente — como mais processamento — para aumentar a capacidade de atender a uma demanda maior.

Depois do período de maior acesso, a estrutura volta a seu dimensionamento original. Nesses contratos, via de regra, paga-se pelo uso, livrando a empresa de arcar com os custos de servidores potentíssimos, cuja capacidade máxima só é necessária em épocas de altas vendas.

Vale citar ainda a garantia de backup e restabelecimento do ambiente o mais rápido possível, em caso de perda de dados ou invasão por hackers.

Quais são os tipos de backup disponíveis?

Como você deve ter notado, estratégias de backup garantem a redução das perdas financeiras a um patamar mais aceitável; sem dúvida, é bem melhor do que confiar na sorte.

Esperar que tudo dê certo simplesmente não existe em TI. Nessa área, a ordem é sempre ter capacidade de recuperação, e da forma mais rápida possível. Assim, falar sobre tipos de backup que podem ser escolhidos e aplicados para cada ambiente é um assunto da maior importância.

Essa escolha dependerá de alguns fatores específicos. Conheça, agora, as possibilidades:

Backup full

Nesse modelo, todos os dados ou arquivos são copiados para o local escolhido de armazenamento — seja em disco magnético ou fita. Assim, cada vez que um backup full é executado, os dados anteriormente armazenados são sobrescritos pela nova versão.

Apesar de ser bem direto, o backup full pode ser tornar inviável quando houver uma grande quantidade de dados a ser armazenada.

Backup diferencial

Esse backup faz cópia de todos os arquivos ou dados alterados desde o último backup full executado. Ele é bem mais rápido para uma restauração do que outras opções, pois precisa apenas do último backup full e do último diferencial que foram feitos.

Backup incremental

Essa opção ocorre depois de um full, diferencial ou mesmo de outro incremental, acrescentando as alterações feitas após os backups executados. Trata-se de um tipo de backup bastante rápido para cópia, pois usa apenas as alterações feitas no volume de dados.

Em contrapartida, é mais complexo por gerar uma quantidade maior de arquivos, quer sejam incrementais ou diferenciais. E a restauração também é mais lenta, pois todos os arquivos precisam ser aplicados em ordem até o final.

Qual é o tempo ideal de retenção do backup?

Tão importante quanto escolher a estratégia de backup a ser adotada na empresa é definir o seu tempo de retenção. Caso contrário, problemas nos dados ou sistemas podem passar despercebidos por muitos dias, ou mesmo semanas.

Quanto maior for o tempo de retenção, maior é a segurança e a necessidade de espaço para armazenamento. E essa política deve ser definida de forma a alcançar o melhor equilíbrio entre a capacidade de recuperação de versões anteriores de backup e o investimento com o armazenamento.

Nesse ponto, a hospedagem em uma empresa especializada em cloud computing é, sem dúvida, a melhor alternativa.

Enfim, esperamos ter contribuído para que você tenha uma visão mais clara e diretiva sobre a necessidade de definir o modelo a ser adotado para seu negócio. Grosso modo, as melhores estratégias de backup vão depender dos fatores expostos neste texto.

Agora, para ficar por dentro desse e de outros assuntos relevantes, aproveite para assinar a nossa newsletter e acompanhe as próximas publicações!

Você também pode gostar
Qual o papel dos colaboradores na segurança da informação de uma empresa?
saiba-o-que-fazer-para-mostrar-o-valor-da-ti-em-uma-grande-empresa
Saiba o que fazer para mostrar o valor da TI em uma grande empresa
como-obter-mais-rentabilidade-com-o-setor-de-ti
Como obter mais rentabilidade com o setor de TI?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Nome*
Site

Share This